Lembra-se quando sua mãe dizia que “você não é todo mundo?“, respondendo a sua indagação de que “todo mundo ia” para o lugar que você ia? Pois bem, eu acho que você já sabe a resposta, mas vou reafirmar: ela tinha razão! Apesar dela provavelmente não ter como embasamento a sociologia ou antropologia, o seu conhecimento de mundo e sentimento de conhecimento a um dado específico (você) faz com que ela entenda que você faz parte de um perfil específico. Nesse caso, ela sabe claramente que você é: filho dela; faz parte de uma família específica; é de uma classe com hábitos específicos, que faz com que você se torne diferente dos outros.

É comum a gente tentar generalizar tudo a partir do nosso ponto de vista. Achar que o seu gosto pessoal, sua opinião acerca do mundo, sua posição social e ideologia faça parte de uma visão global, única, verdadeira e correta. Esse sentimento se dá porque andamos, convivemos e compartilhamos coisas com pessoas que têm o mesmo padrão de comportamento, vivência etc. conosco. Nas redes sociais, isso se torna ainda um pouco mais claro por conta dos algoritmos que, analisando os seus dados de comportamentos, te colocam em uma bolha, na qual você tem essa sensação de que todo mundo está falando, pensando e compartilhando a mesma coisa. De certa forma, as redes sociais têm esse papel: unir pessoas que tenham os mesmos interesses, gostos e opiniões. O que você precisa saber é: você é parte de um grupo específico de pessoas, que tem gostos e comportamentos similares, mas existem milhares de outros grupos com outros gostos e comportamentos diferentes.

Bem, por esse motivo, em muitos casos, a gente acaba errando quando vamos fazer um anúncio na internet. Por achar que todo mundo que está na plataforma pode ser seu consumidor, o seu anúncio tem que atingir o máximo de pessoas e não as pessoas corretas. Isso gera frustração em muitos casos: primeiro, porque às vezes seu anúncio atinge muitas pessoas, tem muitos comentários, likes e compartilhamentos e poucos cliques em links e resultados concretos; segundo, porque você gastou um dinheiro que – muitas vezes – pode deixar de ser investimento por ser visto como um gasto.

Então, o mais importante é: saber que o dinheiro que você investe em seu anúncio é um investimento e não um gasto. Mas como? Bem, é simples: saber que sua empresa não tem todo mundo como cliente é o primeiro passo. O segundo é: você não é todo mundo e, por isso, deve falar com as pessoas certas em seu anúncio. Esqueça likes, esqueça compartilhamentos, esqueça comentários que não agregam valor à sua marca/empresa. Tenha como foco resultados, pessoas que realmente são seus clientes em potencial. Assim, você vai deixar de ser um Rambo que atira para tudo quanto é lado no meio de uma floresta para ser um atirador de elite que acerta o alvo usando o mínimo possível.

Rambo x Atirador de Elite. Não existe a melhor metáfora para entendermos quando vamos fazer um anúncio para a sua empresa. Quando você vai fazer um post patrocinado no Facebook ou um anúncio no Google, o que você quer realmente? Qual o seu objetivo? É o seu objetivo ou o da sua empresa? Você quer likes porque quer fortalecer a marca ou quer apenas para mostrar no jantar de amigos que sua empresa tem muitos seguidores (que, na maioria das vezes, são totalmente fora do público da sua empresa)?

Defendemos uma opinião igual a da nossa mãe: ninguém é todo mundo. Especialmente uma empresa, que tem uma clientela muito específica, principalmente nas redes sociais. Por isso, quando vamos fazer anúncios, uma das coisas que mais nos preocupamos é: como atingir o público certo de sua empresa. Quem, como, onde estão. Não importa que isso dê 10 likes. Se esses 10 likes forem de pessoas corretas, é muito melhor do que 10000 de pessoas que nunca vão entrar em sua loja, comprar o seu produto ou indicar a um amigo. É necessário atenção aos objetivos, e tornar o investimento que se faz na internet algo vantajoso, e não apenas um gasto.

Nem todo mundo deve ver seu anúncio, mas as pessoas que irão a curto, médio ou longo prazo consumir o seu produto ou serviço. Por isso, é importante que se faça anúncios bem segmentados, respeitando o objetivo da empresa/marca.

Quer saber mais sobre como fazemos anúncios segmentados, tentando ao máximo atingir o seu público-alvo de maneira eficaz? Entre em contato com a gente, venha conversar e tenha uma consultoria de como você pode melhorar a sua comunicação com as pessoas corretas.